jusbrasil.com.br
2 de Março de 2021

Advogados e Advogadas, 11 de agosto merece ser comemorado?

Nessa época comemorativa do Dia do Advogado e Advogada, bom seria se pudéssemos dizer “pindura” nesses bailes de agosto, tão caros. Pena que se paga antes.

Roberto  Parentoni, Advogado
Publicado por Roberto Parentoni
há 3 anos

Por - Roberto Parentoni, Advogado

O Advogado e a Advogada, caros colegas, sendo indispensáveis à administração da Justiça, da ordem e da democracia, com um órgão de classe que tem grande poder de representatividade e um faturamento trienal, aqui em São Paulo, de mais de 1 bilhão de reais, deveriam ter muitos motivos para comemorar.

Vivemos, no entanto, tempos difíceis: somos desrespeitados no exercício de nossa profissão, nossa Ordem dos Advogados do Brasil parece dispensar o poder de representar-nos e à sociedade, mesmo com o alto valor das anuidades pagas por nós à entidade.

Temos problemas com a formação nas faculdades, no atendimento nas instituições, departamentos e órgãos de Justiça, incluindo os fóruns, nosso mais importante espaço de atuação, com as substituições do advogado e a advogada por mediadores e cartórios, além da judicialização e do Supremo Tribunal Federal que passou a legislar, sem termos pra quem recorrer.

De outro lado, muitos operadores do Direito, que prefiro chamar de Pensadores do Direito para que assim ajamos, esquecem ou não sabem que a Advocacia é um preceito constitucional federal (artigo 133), não mensuram a importância de sua profissão e desconhecem a Constituição, o nosso Estatuto e Código de Ética.

Muitos querem nos calar, mas calando a Advocacia não se faz Justiça, pois calando a Advocacia cala-se a cidadania e coloca-se em risco o Estado Democrático de Direito.

Precisamos nos fortalecer e isso passa pela formação e consciência dos Advogados e Advogadas e pelo retorno da Ordem dos Advogados do Brasil às suas origens, sua raiz. Nós, Advogados e Advogadas, temos que encarar os desafios da realidade, e isso terá seu tempo.

Para descontrair, não esqueçam da tradição criada pelos românticos acadêmicos de Direito de outrora, e que faz parte das comemorações do dia 11 de agosto tomando umas e outras no boteco da esquina e aplicando um sonoro “PINDURA”.

Nessa época comemorativa do Dia do Advogado e Advogada, bom seria se pudéssemos dizer “pindura” nesses bailes de agosto, tão caros. Pena que se paga antes.

Aos que se devotam, que a Fé e a Esperança permaneçam. Todo Advogado e Advogada tem ao lado o seu padroeiro, Santo Ivo. Do jeito que anda a Advocacia, qualquer ajuda, ainda mais vinda do céu, será sempre bem recebida.

Saúdo todos os colegas Advogados e Advogadas pela determinação, fortaleza e coragem dobradas com que são obrigados a trabalhar para manter a administração da Justiça, sua sobrevivência e de suas famílias.

Se não pudermos comemorar, que não deixemos de ser orgulhosos da nossa profissão de Advogado e Advogada. Tempos melhores virão, só depende da gente.

Finalizo compartilhando a frase do Conspícuo Sobral Pinto “A advocacia não é profissão de covardes”.

Roberto Parentoni, advogado

#AdvocaciaRaiz

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Sinceramente quando ando na Rua me envergonho de dizer que sou casada com o Advogado não porque ele nos abandonou. Pela falta de Ética de uns colegas de profissão. Só Jesus na causa. continuar lendo